A história do contrabaixo

A história do contrabaixo
Postado em: Notícias
Por Guitarshop
Mais deste autor

A história do contrabaixo

No passado ele se chamava contrabaixo, hoje é apenas baixo. Confira um pouco mais sobre a história deste instrumento!

Primeiros dias do baixo

Podemos dizer que o primeiro contrabaixo da história surgiu no século XV, porém o instrumento como conhecemos hoje apareceu a partir da década de 1930.

Em Seattle, Paul Tutmarc foi o primeiro músico a apresentar um baixo elétrico na forma como o conhecemos hoje. Ele se inspirou para criar o instrumento de forma que pudesse criar uma linha de baixo a partir de um instrumento em forma de guitarra, ao invés de exclusivamente do contrabaixo. Apesar de continuar inovando com variações de contrabaixo até o final da década de 1940, essas primeiras edições nunca foram um sucesso.

Leo Fender e seus novos baixos

Na década de 1950, a Gibson já dominava o mercado geral de guitarras e, enquanto Leo Fender produzia suas próprias guitarras elétricas para rivalizar com as de Gibson, ele foi capaz de criar uma nova proposta de baixos elétricos. Em 1951 o baixo Fender Precision foi lançado pegando emprestado vários recursos técnicos de suas guitarras como a Telecaster e rapidamente se tornou o padrão da indústria para baixos. Os músicos gradualmente começaram a tocar o baixo elétrico da Fender e no final da década já existiam importantes baixistas que tocavam o modelo, como por exemplo Bill Black, um músico da banda de Elvis Presley, o que ajudou a promover ainda mais o instrumento.


Enquanto Fender e Gibson continuavam liderando o caminho, empresas de todo o mundo logo estavam produzindo seus próprios modelos de baixo elétrico.

A explosão do rock and roll

À medida que os Beatles, os Rolling Stones e dezenas de outras bandas atingiam o cenário musical dos anos 60, a produção de instrumentos também disparou. Destaque para a Fender que lançou o seu novo modelo de baixo chamado Jazz Bass ainda na década de 1960 e, posteriormente, o Mustang Bass.

Anos 1970 até os dias de hoje

Enquanto as décadas de 1950 e 1960 deram o tom para o que o baixo traria para a música, a partir da década de 1970, músicos e designers de instrumentos começaram a experimentar diferentes ideias e inovações para o instrumento.

Um dos primeiros seria Alembic, que produziria instrumentos personalizados e estabeleceria o que ainda é o padrão de hoje para guitarras "boutique". Diferentes variedades de baixo também começaram a ser associadas a vários gêneros musicais, permitindo que bandas progressivas da época, como o Rush, criassem um som mais definitivo e único para seus estilos.

Os baixos de cinco cordas também começaram a ser produzidos nos anos 70, embora não se tornassem amplamente disponíveis a preços acessíveis ao consumidor até os anos 90, quando modelos de seis, sete e até oito cordas seriam pioneiras.

Outras personalizações, como o baixo sem headstock, se tornariam populares nos anos 80, mas raramente são vistas hoje em dia devido ao seu status de artifício ou instrumentos inovadores. 

Apesar dessas inovações posteriores, os baixos Fender Precision e Jazz continuam a ser os instrumentos mais populares até hoje.

30 de novembro de 2021
Comentários